César Neto: 2 aninhos e 3 meses...



Olá a todos!

Ufa, dias corridos... cá estou eu pronta para relatar os acontecimentos do meu Cesinha...


Pra começar, ele está maravilhoso e lindo como sempre: sabidão, conversador (Tia Dani fala que tá parecendo um papagaio de pirata), cantando todas as musiquinhas do seu canal preferido de tv, dengoso e poderoso como sempre... Como se passou muito tempo desde a última postagem vou escrever em tópicos...


Escola: A acessibilidade em nosso país ainda tem muito a evoluir... Desde uns meses atrás venho buscando a escola ideal para o meu filhote. Planejei matricular ele na mesma escola que o Dudu já estuda mas desisti. É frustante o posicionamento de algumas instituições, infelizmente como tantas outras famílias, senti "na pele" a falta de interesse e comprometimento com alguns profissionais da educação em matricular uma criança especial, no caso de Cesinha, com dificuldades motoras. Na minha concepção, a acessibilidade não se resume apenas a rampas, adaptação em paredes, banheiro, etc... creio eu que a acessibilidade implica numa mudança de mente, numa maneira diferenciada em pensar a respeito do assunto, não importa se a escola é pequena ou grande, "vistosa" ou simples, acho que só precisamos de profissionais que encarem o desafio. Percebo que muitas escolas ainda não tem alunos deficientes, e me questiono: "será que não existe procura? ou o motivo é porque as escolas se recusam a matricular?" Duvido que eu seja a 1ª mãe a procurar uma vaga para uma criança que não anda em Feira de Santana/Ba! Depois de alguns contatos desagradáveis encontrei uma escola que se propôs a aceitá-lo, a diretora me disse assim "mãe, não recuso criança nenhuma. Faremos uma experiência nos primeiros dias de aula e ele só não será matriculado se não se acostumar à escola". Ufaaaaa, finalmente pude respirar aliviada... a direção pediu um relatório médico do Sarah citando seu diagnóstico e salientando o cognitivo. Também se propôs a adaptar a escola e providenciar as rampas de acesso. Cesinha é um doce de criança e sei que não terá dificuldades com a adaptação à escola, haja visto que já tem experiência e contato com outras crianças desde pequenino na creche. Estou muito feliz e ansiosa por chegar logo fevereiro e ver meu filhote estudando como qualquer outra criança. Desejo salientar que as considerações que faço em relação às escolas, estou me referindo à rede particular de ensino.

Grupinho de bebês/Sarah: Encerramos mais um ciclo de atividades no grupinho de bebês este mês de dezembro. O que tenho a pontuar é que esse 2º semestre foi muito proveitoso, Cesinha evoluiu bastante e foi muito elogiado pela turminha que nos assiste. Ele hoje fala melhor, se relaciona melhor com os coleguinhas e tem aceitado as propostas apresentadas a cada encontro. Levamos o caster para fazer as adaptações necessárias (encosto e cinto de segurança) e também fizemos uma avaliação da órtese e tá tudo ok com ela, em fevereiro iremos na Oficina para verificarem se ainda está dentro do esperado. O último encontro foi muito bom, fizemos uma visita ao Shopping Salvador e foi lindo, tudo ornamentado para o Natal e Cesinha ficou fascinado pelas tantas luzes e cores, só faltou mesmo o Papai Noel que não havia chegado ainda. Ficaremos no aguardo do contato do Hospital para o retorno no grupo em 2014.
Como ano que vem vai pra escola já pedi no encerramento a prescrição de sua cadeira de rodas. Sentamos ele em algumas cadeiras pra verificar o tamanho ideal e não sei dizer se gostei ou não de vê-lo sentado. Vai ser bom pra ele, vai ser melhor a cadeira que o caster já que este exige ambientes totalmente planos, o caster tem uma mobilidade mais difícil pois é pesado, enfim, a sua cadeira vai facilitar muito mais a locomoção que o caster na escola. Acho que senti dó ao vê-lo na cadeira... mas faz parte... o futuro a Deus pertence. De posse da receita, fiquei na maior dúvida, se compramos logo, se aguardamos um pouco mais...por fim combinei com o marido de nos organizarmos e comprá-la ano que vem.

Desenvolvimento geral: como já citei, está bastante falante. Já formula frases maiores, chamando todo munto pelo nome e cantando muito, gosta muito de cantar e dançar. Está muito habilidoso com o seu caster, até as curvas faz de boa.  Em relação ao seu desempenho na fisioterapia, a Tia Lu tem elogiado ele bastante, tem percebido também uma sensibilidade maior em suas coxas. Em relação ao seu cognitivo no geral tá muito bem. Gosta de brinquedos de encaixar e até já conhece as 04 cores: azul, amarelo, verde e vermelho. Lembrando também que já conta de 1 a 10. A mamãe anda cheia de orgulho desse mocinho! Não posso deixar de falar por sua paixão por bolas, adora assistir futebol, precisa ver como vibra pelo gol. É engraçado vê-lo assistindo... rsrs... Meu pequeno não quer mais ajuda para comer. Faz uma "lambança" danada, mas almoça sozinho, toma seu danoninho sozinho e nem pensar em ajudá-lo com a mamadeira, pois faz tempo que se vira sozinho também!
Estamos na expectativa para a realização de uma nova tomografia. O plano demorou a liberar, depois de liberado informou que o tomógrafo está em manutenção no hospital, e cá estamos nós, esperando... tomara que se resolvam logo essas pendências pois gostaria muito que fizesse o exame o mais breve possível, pois se aproximando as festividades do fim de ano, os médicos "saem de férias" e aí fica difícil...

No mais tá tudo bem. Este mês de dezembro já estamos sem a creche e estou trabalhando apenas no turno da manhã. A vovó Janete tem me dado um suporte com os meninos até a hora que eu chego e nossas tardes tem sido intensas com fisio, momentos de brincadeiras, pracinha, karatê de Dudu e outras coisitas mais que inventamos todos os dias. Tenho estado feliz, cansada pois a intensidade do dia-a-dia permanece, mas é maravilhoso ter esse tempo maior com meus meninos. É lindo quando chego em casa e Cesinha abre o sorrisão e fala "Bom dia mamãe!!!". Percebo que as crianças também estão gostando de ter a mamãe mais cedo em casa.




Dia 10/12 Dudu completou 6 aninhos de vida, o tempo tem passado com brevidade. Fico "viajando" imaginando meus gatinhos grandes, adultos, fico me perguntando o que será do futuro... mas de coração sereno confio a Deus cada dia de nossa existência. Agradeço diariamente a Deus pela nossa vida, tenho uma família maravilhosa e 02 filhos lindos que são os motivos pelos quais não desisto nunca de esperar sempre o melhor da vida.


Abraços, Marcella :) 



Tecnologia do Blogger.

Curte a gente!

Seguidores

Total de visualizações de página