Entendendo o Cateterismo Vesical...


                                                           Cateterismo Intermitente limpo

O cateterismo intermitente limpo é um dos recursos terapêuticos empregados nas situações nas quais o controle nervoso da micção foi comprometido como nas doenças da medula espinhal e nos traumas raquimedulares.

Nessas situações, embora muitas vezes a(o) paciente apresente micção espontânea e até mesmo perda involuntária de urina, há tendência de comprometimento progressivo da função dos rins e da bexiga ao longo do tempo. Isso ocorre porque a bexiga passa a funcionar num regime de estresse constante e pressão elevada, que causam perda progressiva da sua elasticidade e capacidade naturais, além de dificuldade para a drenagem da urina produzida pelos rins.

Em geral, o cateterismo intermitente limpo é empregado em associação com o uso de medicamentos que têm por objetivo diminuir a pressão da bexiga e aumentar sua capacidade. Dessa forma, o objetivo final do tratamento é restaurar a função de reservatório urinário da bexiga, evitando-se perdas urinárias involuntárias entre os cateterismos e propiciar o esvaziamento adequado da bexiga, que diminuirá o risco de infecções urinárias e de comprometimento progressivo da função dos rins.

O cateterismo poderá ser realizado por qualquer paciente que tenha coordenação motora mínima (função de pinça dos membros superiores) e poderá ser realizado, também, por um familiar ou profissional de saúde. Em geral é realizado 4 a seis vezes ao dia. O treinamento para o cateterismo inclui o ensino de aspectos básicos da anatomia dos órgãos genitais, princípios de desinfecção e noções sobre o manuseio de cateteres e de manobras visando facilitar o esvaziamento.

Esse treinamento deve ser realizado por profissional especializado da área de saúde, em geral enfermeiro com treinamento no cuidado de pacientes com estomas ou pelo próprio médico.



Fonte: http://www.cassioriccetto.med.br/procedimentos/cateterismo.html






Cateterismo Vesical Intermitente Limpo

O cateterismo vesical é a introdução de uma sonda até a bexiga a fim de retirar a urina, método muito utilizado em pacientes com mielomeningocele por conta da bexiga neurogênica. Os primeiros dias do ano de Cesinha marcaram o início de tal procedimento em sua vida.

Visitinha de Dudu...
Nos internamos no SARAH por um período de 11 dias e fomos preparados para essa nova etapa. De todas as particularidades associadas à condição do meu filho, o CAT sempre foi algo que me incomodou... Acho que o mais difícil no procedimento não é o risco de infecção nem o temor de machucar, é a aceitação. Aceitar que seu filho necessita de fato, que é algo indispensável à sua qualidade de vida futura e por fim, estar disposto a abrir mão de todas as rotinas normais da família para encarar com seriedade os horários para a execução de cada procedimento. Eu sempre achei que meu filho nunca precisaria do cat porque fazia muito xixi e desde a internação anterior, quando exames apontaram a necessidade do cateterismo, minha reação imediata foi o choro e de lá até os dias atuais fiz um grande esforço em aceitá-lo... Mas hoje graças a Deus minha percepção mudou. Com a ajuda da equipe médica e a enfermagem do hospital, tivemos tempo de esclarecer dúvidas, compreender melhor o porque do cateterismo, entender as estruturas do aparelho urinário, ensaiamos muito e partimos para a prática. Estou feliz comigo mesma pois venci mais um obstáculo em minha vida. Saí do SARAH com uma visão diferenciada do cateterismo e hoje faço o procedimento sem temores ou pré-conceitos, me conforta saber que posso ajudá-lo e muito com todo o meu amor e bem querer a cada cat realizado.

O urologista prescreveu o cateterismo durante o dia de 04 em 04 hs e à noite, sonda aberta. Associado ao cat o uso contínuo da Oxibutinina na medida 4,5ml de 12 em 12hs., um medicamento que irá auxiliar relaxando sua bexiga, otimizando assim sua capacidade de armazenamento. Eu não gostei desse remédio, percebo Cesinha  irritadiço, secura na boca, os lábios também ficam bem ressecadinhos além de uma sensação febril, o corpinho quente mas com a temperatura normal. Eu já havia sido alertada de todos esses sintomas e são normais. Cesinha não tem demonstrado incomodo na hora do cat, fazemos uso de xilocaína 2% na sonda e no pintinho e não sei se ameniza mesmo a dor ou se não existe sensibilidade no local, acho que só teremos certeza quando meu pequenino finalmente aprender a falar o português com fluência e esclarecer essas dúvidas da mamãe (conto as horas pra chegada deste dia...).
Quanto à sua evolução motora e cognitiva, a mamãezinha & família foi parabenizada. Das atividades propostas pelo SARAH na última internação Cesinha desenvolveu tudo direito e está bem sabidinho, a equipe se surpreendeu com muitos avanços num intervalo curto de tempo. Ele aprendeu a rolar e já está conseguindo se arrastar pra frente. Aprendeu a "canalizar" suas forças na junção das mãos e apoio dos cotovelos e com esforço e às vezes uns choramingos de dengo, tem enfrentado as dificuldades e ido em busca do que deseja. Senta-se sozinho e tem um ótimo equilíbrio de tronco, até consegue ficar com as mãozinhas livres e sem apoio, mas ainda tem medo de se soltar, quando se dá conta, se apoia nas perninhas ou chão.

No mais, tudo lindo. A correria de sempre parace estar mais intensa do que nunca, está sendo uma verdadeira maratona estar em casa e fazer o cat das 10hs 14hs e 18hs, eu e o marido arquitetamos planos "mirabolantes", mas graças a Deus, estamos conseguindo honrar com os horários durante o dia e à noite revezamos. A rotina da família muda e mudará sempre que necessário for. 

Fazendo muita arte como sempre!!!!
Um grande abraço =)

Tecnologia do Blogger.

Curte a gente!

Seguidores

Total de visualizações de página